terça-feira, 28 de maio de 2013

E...

O Grito (1893) - Edvard Munch

E...
E depois há o coração...
E o coração sente.
E há o lugar que habita,
E há momentos sem casa para estar...
E há forças de nunca deixar cair, esvaziar.
E pode ser sempre diferente.
E há luz e traços de franca gente...

(2011)

2 comentários:

Elisa Encarnação disse...

e depois há o corpo a extravasar um grito que tem de sair!
Agape =)

Kleine disse...

Agape!