quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Quem me dera...


Quem me dera encontrar o verso puro, 
O verso altivo e forte, estranho e duro, 
Que dissesse a chorar isto que sinto!

Florbela Espanca

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Constança e a Fonte dos Desejos


O antigo Porto continha inúmeros textos que com o tempo se perderam, no entanto, um desses textos permaneceu na minha memória até ao dia de hoje...
Não sei se foi por mais tarde ter conhecido a Constança-criança, mas o apelo para o recriar permaneceu a acompanhar-me muito subtilmente, pelo que avanço com a história de uma menina tão doce como o seu rebuçado...

Era uma vez uma menina muito pequenina que brincava alegre e efusiva pelas calçadas da rua - de seu nome Constança. Constança, a criança era uma autêntica força da natureza, dotada de uma personalidade fortíssima. Rara era a coisa que ela não conseguia - nem que fosse por pura teimosia - Constança lutava!
Mas, havia algo que a menina pedia e pedia e não conseguia...até que um dia, cansada e muito zangada por não conseguir, atirou-se literalmente para o chão a espernear e a chorar convulsivamente...
Nisto, parou de soluçar, e de um pulo só, sentou-se e ficou muito calada em frente da fonte...
Constança observava agora séria, as pessoas que por ali passavam...
Reparava que as pessoas estranhamente se chegavam à fonte, cochichavam, outros em puro pensamento falavam e depois atiravam uma moeda para a água!
E era ver a cara de espanto de Constança...
Levantou-se, endireitou o vestidito branco e lá foi ela ter com uma senhora que estava junto da fonte. Quando chegou até ela, puxou-lhe a saia, de forma que a senhora olhou surpreendida para aqueles grandes olhos brilhantes e perguntou:
- Que queres minha menina?
- Senhora, porque falam as pessoas com a fonte e deitam-lhe moedas?
- Minha querida, esta é uma fonte mágica!!! Tu pedes um desejo e mandas uma moedinha à fonte e o teu desejo realiza-se!
- Ahhhh! - Suspirou Constança com o ar mais admirado deste mundo e, agradecendo saiu a correr disparada.
Sozinha, Constança pensou:
- É isso! É Isso! Vou pedir à fonte para que o meu desejo se realize com toda a força do mundo e vou dar-lhe o meu rebuçado mais doce de todos!
Dirigiu-se então à fonte e assim fez, pediu o desejo e atirou o rebuçado mais doce...
Esperou toda a tarde, esperou mais um dia e outro e outro e outro, mas nada!
Constança zangada foi então junto da fonte e a chorar de tão magoada que estava, deu-lhe um pontapé e disse:
- Afinal tu não és uma fonte mágica! Tu não és uma fonte de verdade! Não realizaste o meu desejo quando eu dei-te tudo quanto tinha...
Sentou-se, soluçando continuadamente...e quando menos esperava, ouviu o seguinte:
- Minha querida Constança, nem sempre aquilo que pedimos é aquilo que verdadeiramente nos faz falta!
Mas afinal, aquela fonte falava!
A menina de tão assustada que estava só dizia:
- Mas... mas ...mas... afinal tu és mágica, tu falas!
Contudo, a fonte permaneceu calada...
Anos mais tarde, Constança entendeu a mensagem da fonte. Então, retornou já crescida, para lhe agradecer, com o seu sorriso mais doce!  

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Pulsar

"Running from the World" by Lady-Jen

Vi-a pulsar o Luar,
E ia desprendida de todo o mundo,
Solta e leve, tão leve a voar...
E tinha conchas do mar no seu cabelo,
E tinha o cheiro do mar na sua pele escura,
Solta e leve, tão leve a voar,
Beleza pura do ar.

Vi-a pulsar o Sol,
E ia desprendida num raio solar,
Pura, tão pura, a voar...
E tinha brincos de princesa nas suas orelhas,
E tinha o cheiro da terra na sua pele resplandescente,
Solta e leve, tão leve para ficar,
Beleza pura da terra e do mar,
A voar, a voar...

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Fio


Fio de prumo, 
Fio audaz,
Fio desvio,
Num tanto faz,
Fio de conta,
Fio capataz,
Fio barulho,
Fio delírio,
Fio cortina,
Fio, como se faz?
Tecendo meu bom rapaz!

(2009)  

sábado, 24 de agosto de 2013

Cuore


Pensava em escrever-te, mas depois entendi que já nada te faz falta. Então calei tudo o quanto sou e fiquei apenas a maravilhar-te como o sol que nasce todas as manhãs em puro silêncio. Pensei que o caminho até aqui foi de facto muito longo e íngreme, com muitas dores-feitas-pedra. 
Sabes, cresci, cresci todos os dias e devagarinho... 
Aprendi que o maior segredo está guardado dentro de nós, mas que ninguém o revela. E que faz todo o sentido não se revelar, porque se trata de algo profundamente antagônico, desafiante - que só pode nascer de um estudo teimoso e de um estado de quase perpétuo por à prova o que somos.  
Já não temos medo de morrer, afinal já morremos tantas vezes e nascemos tantas outras, até aprendermos a olhar para dentro de nós e a ver. 

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Não sei se me cantas ou se me falas...



"Eu sei que sabes quem eu sou (...)
 Serei o filho de outra vida (...)
Nasci na ponte das promessas (...)"

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Bicho Papão


O medo é um Bicho Papão que ataca em qualquer idade,
Não olha para o coração, nem para a ausência de maldade,
O medo é um Bicho Papão que devora a alma sem piedade.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Do Coração e das Estrelas


Meu Pai do Céu, 
Pai dos mimos infinitos e da proteção sincera,
Cuida das estrelas pequeninas,
As que amei e amo neste caminho tão só.

Meu Pai do Céu,
Ouve a minha prece,
Fazei saber a todas elas o teu Amor Infinito,
Dos abraços de condão em pó de meiguice.

Meu Pai do Céu,
Pega ao colo a todas elas,
E dai-lhes a mão,
Agora e sempre,

Ámen.

sábado, 3 de agosto de 2013

A bem


Abençoada seja esta Maresia eterna,
Abençoada seja esta Música serena,
Abençoada seja este Abraço sem espaço,
Abençoado seja o Viver,
Abençoado seja o Amor,
Abençoado seja o Querer,
Abençoada seja a Vida em pleno Viver.