segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Anda, Vem


Mãe, anda, vem...
E senta-te aqui ao meu lado e explica-me as pessoas e os seus sentimentos que eu não consigo entender.
Mãe, anda, vem...
E explica-me como é que é possível um coração humano sentir tanta coisa que o transcende a alturas e funduras de alma que se pensavam ser impossíveis.
Oh Mãe, anda, vem...
Que me sinto tão pequenina cá dentro.
Minha Mãe,
Minha Mãe de Alma.

Sem comentários: