terça-feira, 5 de novembro de 2013

Empanamentos de alma


Eu digo-lhe que tenho o coração empanado e que nem consigo escrever...ela diz-me que tenho o coração cheio de pão e sementes...eu digo-lhe que já não tenho terra para tantos sentimentos... ela diz-me que posso plantar lá o que eu quiser...eu digo-lhe que não existe ninguém para tratar...ela diz-me que é preciso água para fazer crescer...eu digo-lhe que não tenho a água que faz sonhar...ela diz-me que vem com o tempo, nem que tenha de esperar...eu digo-lhe que já não tenho sementes...ela diz-me que as sementes são sonhos e que às vezes são vontades escondidas...eu digo-lhe que matei as vontades, que o horizonte esta vazio...ela diz-me que vejo o céu e que se vejo o céu também vejo o mar e se vejo o céu e o mar também vejo o sol, por isso também vejo o horizonte...e eu? eu lembro-me de Pessoa e calo-me...mas a conversa sempre continua...    

1 comentário:

Elisa Encarnação disse...

Com corações empanados e joelhos crocantes já damos um belo prato!!
Agapes =)