segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Dor


A mestria não faz ninguém acordar do sono mais profundo, nem faz gerar amor onde não o é.
E o meu coração estala todo ele envidraçado talvez por seguir em frente mesmo na escolha errada.
"Fazer evolução onde existe involução" - canta-me ela vezes sem conta...
A cada dia que passa, dou-te mais razão minha irmã.
Este será possivelmente o tempo-maior, o da procura da faísca que nos reacende e mantem vivos para além da nossa própria dor.
Doí-me o sonho da verdade.
Doí-me a ilusão por inteiro.
E basta-me um instante, para tudo voltar ao pó novamente...
Minha irmã, segura minha mão...
Segura minha mão com o teu corpo e presença de espirito,
Para que não me torne igual ao chumbo que mata e gela...
Minha irmã, segura minha mão...
Para que a luz não queime e mate o que alguns chamam de "amor".

1 comentário:

Elisa Encarnação disse...

Sempre de mãos dadas irmã: Agapes